terça-feira, 4 de abril de 2017

A criança e adolescente frequentador de Projetos em instituição não-formal de educação

RESUMO
O artigo tem por finalidade averiguar sobre as possibilidades de implementação de políticas públicas de lazer que possam potencializar instituições não-formais de educação no acolhimento das comunidades em condição de vulnerabilidade a sua volta. Foi feito um breve levantamento dos dispositivos que garantem a proteção integral da criança em sua condição peculiar de desenvolvimento. Dispositivos que aproximam o Museu de Arte de Belém dos enfrentamentos a que se dispõe. Faz demonstrações claras sobre a importância, não apenas histórica, mas da história da cidade de Belém para a mudança de paradigmas das crianças. Despertou nas crianças a consciência do lugar. A pesquisa contou com analise de materiais fotográficos e leituras dos diários de atividades, onde constam anotações sobre as falas das crianças. O Projeto PontArt é protagonista de possibilidades de Museu que argumente com o social, espaço onde políticas públicas de lazer podem ser executadas, garantindo a preservação do patrimônio por meio da saúde intelectual da criança e ambiente saudável para infância.


Palavras chave: Museu de arte de Belém (MABE); Patrimônio cultural; Sistema de garantia de direitos (SGDCA).

REFERÊNCIA
BASSALO, Célia Coelho. Art Nouveau em Belém. Brasília (DF): Iphan/ Programa Monumenta, 2008
BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros curriculares nacionais: História e Geografia. Brasília: MEC/SEF, 1997
BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros curriculares nacionais: Arte. Brasília: MEC/ SEF, 1997
FIGUEIREDO, Aldrin Moura de (Curador). Janelas do Passado espelho do presente: Belém do Pará, Arte, Imagem e História. Belém (PA): FUMBEL, 2011
LAPLANTINE, François. Aprender Antropologia. São Paulo (SP): Brasiliense, 2005. (p. 13 a p. 33)
LOBO, Luiz. Televisão: nem babá eletrônica nem bicho-papão (a criança diante da tevê). Rio de janeiro: Lidador, 1990