quarta-feira, 12 de outubro de 2016

Arte na Pré-história e na Antiguidade


Arte é uma forma de linguagem, uma forma de expressão utilizada pelo homem desde os tempos mais remotos. A arte contribui para espiritualização do homem que procura assumir-se e conhecer-se para atuar de modo mais consciente e livre no mundo.
O conceito de beleza teve origem na Grécia antiga, produto de uma determinada filosofia de vida. A arte era para os gregos uma idealização da natureza e especialmente do homem.
O importante ao analisarmos uma obra de arte é descobrir os motivos que a determinam: o pensamento, a imaginação, o sentimento, as circunstâncias de época, de lugar, de ambiente em que nasceu. A arte foi feita por grandes homens, aqueles que souberam ver e expressar a essência de seu tempo e antecipar os desafios do futuro como Velasquez, Michelangelo, Goya, Leonardo da Vinci e muitos outros.
A arte começou a ser criada na pré-história. No ano de 1879, o Marquês Marcelino de Sautuola, estudioso de arqueologia levou sua filha Maria a região de Altamira, situada ao norte da Espanha em meio aos montes Cantábricos. Era uma área de grande interesse, pois já se sabia na época de grutas pré-históricas ainda não exploradas. Enquanto o Marquês observava as paredes rochosas, sua filha havia descobrido uma abertura na caverna onde podiam ser vistos touros pintados. Maria encontrou um verdadeiro tesouro. A caverna de Altamira é para alguns historiadores de arte a capela Sistina da pré-história, por tamanha variedade de pinturas encontradas, tanto na parede como no teto. Com o descobrimento de varias cavernas como Lascaux, Font de Gaume entre outros.

ARTE NA PRÉ-HISTÓRIA OU ARTE RUPESTRE

Na pré-história encontraremos duas importantes divisões: o período paleolítico e o período neolítico.

  • Período Paleolítico
Conhecido como idade da pedra lascada é o período mais antigo e longo da história (3,5 milhões a.C. à 10.000 a.C.). Os diferentes grupos hominídeos vivem em pequenos bandos, alimentam-se de caça, pesca e coleta de frutos. Abrigam-se em cavernas. Desenvolvem muito lentamente a linguagem oral e a fabricação de instrumentos de osso e pedra com os quais caçam, guerreiam e realizam entalhes nas pedras. Em diferentes momentos aprendem a utilizar e produzir fogo.
As primeiras manifestações artísticas no período Paleolítico consistem em pinturas e gravuras encontradas nas paredes das cavernas representadas por figuras de servos, bisontes, cavalos selvagens, ursos, rinocerontes peludos, mamutes e outros animais feitas pelo homo sapiens. Não ficou testemunho de manifestação artística da cultura dos homens de Neandertal.
A figura humana também aparece, mas em menor quantidade. Na escultura de modo geral, aparecem mulheres com grandes seios, ventre saltado e nádegas grandes.
O homem foi primeiro escultor e depois pintor, dada a maior capacidade de abstração exigida pela pintura. Nesse período aparecem figuras femininas talhadas em marfim, osso e pedra, apresentando geralmente formas volumosas, bastante gordas que estariam ligadas a símbolos ou ritos de fecundação. Entre as esculturas mais conhecidas está a Vênus de Willendorf e a Vênus de Brassempouy.
O homem primitivo para conseguir a cor em suas pinturas utilizou: terras vermelhas, amarelas e pardas. Carvão, pedra calcária, gordura animal e sangue de animal. Na arquitetura o homem primitivo utilizou cavernas naturais e posteriormente a construção de Dólmens (monumento que apresenta duas pedras na vertical e uma sobreposta na horizontal), a construção de Navetes (túmulos em forma de naves feitos em pedra e fechados), a construção de Cromlecs (varias pedras na vertical com pedras sobrepostas na horizontal , abertas em uma extremidade), a construção do Menir (uma grande pedra vertical que os historiadores acreditam ser um monumento religioso).

  • Período Neolítico
O desenvolvimento da agricultura e o inicio da metalurgia entre os anos 8.000 e 4.000 a.C. constituem os aspectos principais da chamada revolução Neolítica ou Idade da pedra Polida os homens agrupam-se em povoados e aumenta a divisão do trabalho o que permite a produção de excedentes e a realização de intercâmbios com outras comunidades. A pintura e a escultura são bastante desenvolvidas nesse período. Observe algumas características: a pintura torna-se decorativa, os vasos tem motivos geométricos, esculturas são feitas em metais e criam-se os adornos corporais.
Com essa evolução surge a escrita e o homem passa a deixar registros organizados por escrito entrando no período que chamamos História.

A ARTE NA ANTIGUIDADE

O primeiro período em que a história se divide é na idade antiga que começa com o aparecimento da escrita. Este foi o período das grandes civilizações míticas como a da Mesopotâmia, do Egito, da Grécia e de Roma.

Neste ciclo histórico foram produzidas as sete maravilhas do mundo antigo: Pirâmides do Egito, Colosso de Rodes, os Jardins suspensos da Babilônia, estátua criselefantina de Zeus, o templo de Artemis, o mausoléu de Halicarnasso e o Farol de Alexandria.
  • A Arte Mesopotâmica
Na Mesopotâmia desenvolveram-se muitas civilizações: Sumeriana, Babilônica, Persa e Assíria. Na arquitetura encontramos o tijolo crú e cozido. Os sumérios construíram templos, palácios e Zigurates que são construções com torres em andares. A escrita dessa época recebe o nome de escrita cuneiforme. Os documentos escritos da mesopotâmia são tabuas pictográficas de Uru.
Na música todos os povos da Mesopotâmia possuíam instrumentos de corda, sopro e percussão, tocavam e cantavam em conjunto em cerimônias festivas, guerreiras e fúnebres. A escultura aparece como complemento da arquitetura, sendo muito usados os baixos relevos. A cerâmica apresenta tijolos cozidos, objetos domésticos e também tijolos vitrificados. Esses tijolos vitrificados são policromados e a pintura aparece sob a forma de afresco.

  • A Arte Egípcia
Os egípcios construíram em sua época uma grande civilização. Trabalharam a arte em variadas manifestações, mas as que chegaram até nós com destaque foram a arquitetura, a pintura e a escultura. A arquitetura egípcia caracteriza-se por: aspecto maciço e pesado, simplicidade de formas, poucas aberturas e tamanho colossal dos monumentos.
Os egípcios construíram dois tipos de monumentos: funerários e religiosos. Os monumentos funerários são: Pirâmide ( para o Faraó), mastaba ( para os nobres) e o hipogeu (para o povo). Os monumentos religiosos eram: o templo (local de adoração aos deuses), o obelisco (monumento megalítico feito com uma única pedra em ponta) e a esfinge (escultura que apresenta cabeça humana e corpo de leão, simbolizando a inteligência aliada a força). Inúmeras são as pirâmides e esfinges no Egito, destacam-se as pirâmides de Quéops, Quéfren e Miquerinos. E a esfinge de Gizé que é maior de todas.
A pintura Egípcia possui características que a tornam única: ausência de perspectiva, uso da lei da frontalidade, uso de cores planas sem sombreado, policromia e a união da pintura com os hieróglifos. A escultura egípcia foi grandemente desenvolvida, suas principais características são: estátuas gigantescas, estátuas esculpidas na rocha, estátuas representando imobilidade e rigidez. As imagens esculpidas nas pirâmides revelam que os egípcios possuíam numerosas espécies de instrumentos musicais: arpas, alaúdes, flautas, trompas, tambores e campainhas.
A escrita egípcia é encontrada em todos os túmulos. Externa e internamente, seja esculpida, seja pintada nas paredes, em papiros e pergaminhos.
  • A Arte Grega
Os gregos eram voltados para arte do pensar, a filosofia. Sócrates, Platão e Aristóteles foram filósofos gregos. A arquitetura grega apresenta três ordens arquitetônicas: a Dórica, a Jônica e a Coríntia. Suas principais características são: planta retangular, uso do frontão triangular, uso das cariátides, ausência do arco e da abóboda, colunas rodeando os edifícios e predomínio da linha horizontal sobre a vertical. Os gregos construíram templos, teatros, ginásios e pórticos. Situado na acrópole em Atenas está o mais famoso conjunto arquitetônico grego e nele encontramos a obra mais importante, o Partenon. Esse templo é a obra prima em arquitetura. Construído em estilo Dórico, ele é perfeito visto sob todos os ângulos.
A escultura grega foi muito trabalhada, tendo na estatuária seu ponto máximo, suas características gerais são: expressão corporal, movimento e técnica antefrontal. Os gregos trabalharam muito o afresco e em muitos casos utilizaram o mosaico para substituir a pintura. É na cerâmica que vamos encontrar exemplos da pintura. A pintura em vaso foi muito desenvolvida na Grécia, tendo como temas as cenas de guerras, cenas do cotidiano e cenas do mar e seus habitantes.
O Teatro é originário da Grécia. É o resultado da união da poesia e da música. Os principais instrumentos gregos eram a flauta, trompas, tambores, citaras e liras. Os gregos faziam música de orquestra, de dança, festiva, fúnebre e heroica.

  • A Arte Romana
Roma chegou a governar o mundo. Foi centro do maior império da antiguidade e sua influência se fez sentir em toda Europa, parte da Ásia e África. A arte romana recebeu influência grega e etrusca. Dos etruscos herdou o arco e a abóbada. Dos gregos todo o restante. Com a decadência da arte clássica grega, a arte romana toma seu lugar a partir do séc. I a.C.
Alguns templos são derivados diretamente da estética grega. Paralelamente surge no império romano a prática da pintura mural decorativa. Em localidades como Pompéia atinge grande inventividade com ensaios de perspectiva que só serão retomados no Renascimento. A escultura romana por sua vez não apresenta evolução significativa com relação a grega. A arquitetura romana caracterizou-se por apresentar: tamanho colossal dos monumentos, uso do arco romano e da abóbada, uso da ordem compósita e estátuas nos telhados. As construções romanas mais típicas são: templos (para adoração dos deuses), basílicas (para o comercio e aplicação das leis), termas (local destinado a higiene física e mental), circos ( para diversão pública), teatros (imitação dos teatros gregos), anfiteatros ( criação romana, tinha forma de circulo fechado. O mais famoso é o anfiteatro Flaviano ou Coliseu). Monumentos decorativos como arcos do triunfo, colunas e aquedutos.
Características da escultura romana: realismo, uso do retrato em larga escala, aparecimento da estátua equestre, movimento e técnica antefrontal. A cerâmica romana seguiu os mesmos padrões da cerâmica grega, assim como o mosaico. A literatura evoluiu muito em Roma. Os principais escritores foram: Cícero, Virgílio, Horácio, Lívio Andrónio e Plauto. No teatro encontramos diferença entre o grego e o romano. Os romanos representavam as cenas mais violentas, enquanto os gregos eram apenas narradas. Na música, a lira, a citara e a arpa foram os instrumentos mais comuns.
O império romano foi grandioso, mas o luxo, a indolência, o vício e a corrupção levaram os romanos a decadência e a extinção de seu império.


Referência Bibliográfica

GOMBRICH, E. H. A história da Arte. Rio de Janeiro: Guanabara, 1988

UPJOHN, Everard M.; WINGERT, Paul S.; MAHLER, Jane Gaston. Histoire mondiale de l'art: De la préhistoire a la Grèce antique. Paris: Marabout Université, 1965

3 comentários:

  1. Arte, arte e mais arte...obrigada pela pesquisa e postagem!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Sandra. Adoro pesquisar. Sou quase uma enciclopédia ambulante rsrs

      Excluir
  2. Oi, cara! Adorei seu blog! Estou seguindo! Se puder retribuir eu agradeço muito! Bjus!

    http://elavestepreto.blogspot.com.br

    ResponderExcluir