quarta-feira, 8 de fevereiro de 2017

Psicologia da aprendizagem: Analise do filme NELL

Nell é o filme americano lançado em 14 de dezembro de 1994. Direção de Michael Apted e produção de Renee Missel e Jodie Foster. Tem como protagonista Jodie Foster, Liam Neeson e Natasha Richardson. Produzido pela FoxVideo, tem 115 min de duração. O diretor Michael David Apted é Britânico, nascido a 10 de fevereiro de 1941 em Aylesbury; Buckinghamshire; Inglaterra; Reino Unido. Famoso por dirigir filmes como “007 – O mundo não é o bastante” e “As Crônicas de Nárnia - A Viagem do Peregrino da Alvorada”.
Nell recebeu indicação ao Oscar, na categoria de melhor atriz (Jodie Foster), além de receber três indicações ao Globo de Ouro de melhor filme - drama, melhor atriz - drama (Jodie Foster) e melhor trilha sonora.
O objetivo do trabalho é elaborar um resumo expandido e crítico sobre o filme “Nell”, com apontamentos e comentários que abordem aspectos do inatismo, ambientalismo e interacionismo.
O filme inicia com a morte da senhora Kelty idosa encontrada no chão de sua casa já pronta para o funeral. Esta é a mãe da personagem-tema do filme. A eremita, vivia com a filha Nell, mulher que aparenta 30 anos de idade, possíveis problemas na fala e tem sua casa localizada no meio da floresta. Seu comportamento dá impressão de pessoa selvagem com problemas intelectuais.
Liam Neeson (Drs. Jerry Lovell) e Natasha Richardson (Drª Paula Olsen) sentem-se instigados pelo caso, no entanto divergem sobre a condição de Nell. Então, quem poderia cuidar da moça? e o caso torna-se judicial. No tribunal o juiz pensa ser necessário compreender a “jovem”, saber como vive e se precisa de auxilio para sobreviver. Como sentença o juiz estipula o prazo de três meses para que ambos “conheçam-na melhor”.
A Drª Paula Olsen instala câmeras pela casa de Nell, com intenção de observá-la com precisão. O Dr. Jerry estabelece contato direto e apesar das aversões consegue bons resultados. Ambos ganham a confiança de Nell e assim podem compreender sua fala, hábitos e medos. Percebem a absoluta capacidade da personagem de viver só e decidir sobre a própria vida.
O fato de sua mãe ter paralisia facial é tido como conclusivo na avaliação dos problemas de fala, pois Nell conviveu isolada tendo a mãe como única referência de comunicação. O isolamento também constituiu hábitos incomuns e por esse motivo uma cultura particular que gera diferenciação social. Os médicos decidiam por interna-la com diagnósticos precipitados. Dentre esses o Autismo.
No dia do julgamento que decide se Nell é inteiramente capaz de cuidar de si, esta levanta e pede a Jerry para ser seu interprete e deixa todos muito impressionados pois começa a própria defesa. Demonstra medo, angustia também carinho e vontade. Mostra pleno gozo de suas faculdades mentais e que poderia ser responsável por si. Diz ser solitária, mas possui individualidades como todas as pessoas.
O filme Nell será objeto de analise para que possamos compreender um pouco sobre os conceitos de inatismo, ambientalismo e interacionismo. Para isso é necessária breve contextualização dessas três concepções do desenvolvimento humano que surgem a partir do século XIX com o seguinte questionamento: “como acontece o desenvolvimento humano durante a vida dos indivíduos?”.
A primeira concepção é o inatismo, esta teoria implica que toda vida social e cultural dos indivíduos estão biologicamente determinados e que este carrega desde o nascimento os traços determinantes de habilidades física, profissional e até mesmo cultural. Os defensores deste ponto de vista acreditam em “dom de Deus” e se utilizam de frases como: “esse menino puxou o pai”.
A segunda concepção estudada é a ambientalista que argumenta que os indivíduos constroem habilidades apenas pelo ambiente onde estão inseridos. Tudo é proveniente ao ambiente, implica o homem passivo, manipulável e controlado pela simples mudança no ambiente, sem preocupar-se com os processos pelos quais a criança raciocina e se apropria do conhecimento.
A terceira e ultima concepção que será utilizada na analise é o interacionismo, esta fomenta que o desenvolvimento humano é fruto da interação entre fatores ambientais e fatores biológicos. Segundo essa concepção somos sujeitos ativos com capacidade de construir características a partir da relação que estabelecemos com o meio físico, social e cultural. Nessa concepção as relações socioculturais do desenvolvimento produz aprendizagem e esta aprendizagem produz desenvolvimento.
As três concepções anteriormente expostas foram organizadas em três aspectos: a sociedade; a ciência e a justiça.
No filme a sociedade se autodenomina assustada e anuncia seu desconforto com relação a realidade de onde Nell é original como anomalia. Como alguém consegue viver sem água encanada, energia elétrica ou telefone? O significado da pessoa Nell é apontado como menor, pois o estranhamento está no ponto de vista da personagem que bruscamente se depara com outras possibilidades de realidade.
Até o momento em foi descoberta dentro da casa para Nell existiam apenas sua mãe, a casa, a floresta e a bíblia. O comportamento da moça em momento algum do filme é apontado como inato, pois não há no filme contato com grupos ou indivíduo religioso. Logo a personagem não passa por julgamentos como: castigo de Deus; ela não sofre pelo pecado dos pais ou tem problemas de fala herdados biologicamente da mãe.
O julgamento da sociedade tem relação com a concepção ambientalista, pois acreditam que Nell age como animal por viver isolada na floresta. Portanto, não reconhece o outro diferente como ser humano e aponta neste tudo aquilo que é estranho, não compreendendo a possibilidade sociocultural do outro.
A sociedade não assume responsabilidades, pois acredita sua realidade como referência a qualquer realidade e toma para si o poder de decidir o melhor para eles. Em outros tempos Nell estaria enforcada, queimada viva, amarrada a uma pedra no fundo do rio ou sendo torturada dentro de um templo religioso em rituais de exorcismo.
A ciência tem o dever de reconhecer a vulnerabilidade do sujeito, dessa forma aproximar e reconhecer para o contato não ser constrangedor ou chocante. No filme a médica instala discretamente câmeras para poder monitorar os passos de Nell dentro de casa.
A médica acredita que a personagem deva ser internada na clínica para tratamento, expondo sua opinião de que o ambiente em nada influência no comportamento. Tem atitude inflexível com relação a situação apontando diagnósticos superficiais. Logo o sujeito surge no filme como resultado de propostas ambientais, mas também culturais. O exemplo de interferência cultural é o problema na fala que anteriormente era apontado como diferenciação intelectual foi depois percebido como resultado do aprendizado com a mãe que tinha paralisia em parte da face, assim Nell reproduzia o modo de falar da mãe.

Diante da justiça é lugar onde a personagem finalmente foi ouvida. Responde a sociedade e a ciência que insistem em vesti-la com rótulos, como: garota selvagem ou pessoa com transtorno de comportamento que precisa de tratamento. Mas a personagem é pessoa comum, não é igual, pois vive outro contexto. A justiça serve os interesses da sociedade, da ciência e da própria justiça. Logo, a consciência da lei possui um caráter interacionista, pois levou em conta o caráter sócio-histórico-cultural da personagem ao considerou sua autodefesa. Nell no tempo de três meses adaptou-se a realidade a qual foi apresentada, dialoga com as questões e as responde.

Nenhum comentário:

Postar um comentário